Uma semana de embates eletrizantes e cenas bizarras com Cid Gomes passando com um trator por cima de policiais armados e amotinados, Bolsonaro passando a mão na cabeça de bandidos amigos, tanto o fraudador de CPFs misógino quanto o miliciano morto que tinha grande proximidade com o presidente, mas se você falar que Bolsonaro é miliciano vai levar processinho e ainda pela lei de segurança nacional, como se a verdade fosse uma arma de destruição em massa, isso apenas no nosso Brasil varonil.

No planeta redondo que alguns dentro do governo insistem em dizer que é plano, o  bilionário Bloomberg levando uma sova no debate democrático, Turquia e Síria se estranhando. Alguns temem armas biológicas, outros temem armas químicas, outros mais armas atômicas, mas, o maior temor da família Bolsonaro é a verdade, por que será?

No Ceará, policiais reivindicando maiores salários, após meses de negociações com o governo decidiram organizar um motim. Fizeram barricadas em quartéis, tentaram colocar toque de recolher, uma guerra onde a população está refém. Mas a greve gerou uma cena escatologica, com o irmão do ex-presidenciavel Ciro Gomes, Cid Gomes, convocando seus correligionários para invadir um quartel amotinado para acabar com a situação.

Mas a situação rapidamente saiu de controle, Cid Gomes, ao ver que os amotinados não iam ceder, sobe em uma retroescavadeira e tenta derrubar o portão do quartel com amotinados e seus familiares atrás dele. Os amotinados reagiram, disparando quatro tiros, com dois deles atingindo Cid no peito esquerdo bem próximos do coração, mas não atingindo-o. 

A cena rocambolesca do dia do errado no Ceará mostrou políticos, que apesar de terem uma certa lucidez sobre a gravidade da situação, mas demonstra um despreparo na hora de lidar com ela, ao mesmo tempo que o Bolsonarismo está apoiando um ato de indisciplina da polícia. Mas Bolsonaro, motim é crime militar, policial que se amotina, pela letra da lei, da constituição e de entendimento do STF é bandido e você está apoiando bandido?

O demolidor em chefe Jair Bolsonaro está bonzinho com bandidos nesta semana, parece que o bravo que gritava “bandido bom é bandido morto” está mansinho, mas há um certo padrão nos bandidos que ele defende. 

De um lado, ele cita um fraudador de CPF que na CPMI das Fake News, confessou que participava de um esquema de fraudes de CPF para fazer disparos de notícias falsas pelo WhatsApp, mas, como fez um acordo com os ex-patrões, mudou a versão sobre quem ajudava com estes disparos e insultou a jornalista para quem ele havia denunciado os ex-patrões, dizendo que ela havia oferecido sexo em troca de informação e o demolidor em chefe declarou então as portas do alvorada na terça-feira (19) “Ela queria um furo [uma exclusiva, no jargão jornalístico]. Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim”.

O demolidor em chefe se apoiou num bandido confesso para atingir alguém que estava fazendo apenas o seu trabalho, a de mostrar os fatos. Mas Ríver do Rio não foi o único bandido alardeado por Bolsonaro, como escrevi neste artigo, Bolsonaro está muito bonzinho com determinados tipos de bandidos.

Outro bandido para quem o cara que já declarou que “se voluntaria para executar penas de morte contra marginais”,está misteriosamente bonzinho é o chefe da milícia “escritório do crime” Adriano da Nóbrega. O arquivo… digo, miliciano foi morto numa operação da polícia militar da Bahia no dia 9 de fevereiro, a quase duas semanas atrás. O miliciano elogiado por Bolsonaro no congresso e condecorado por Flávio Bolsonaro, segundo o próprio Jair por ordens suas, tinha muita coisa para falar sobre os Bolsonaros e sua morte tem fortes indícios de execução.

Bolsonaro, talvez por compaixão no país das coincidências resolveu defendê-lo de forma enfática, impediu sua cremação para segundo ele evitar a perda de provas (até o momento o corpo ainda está no IML do Rio de Janeiro, duas semanas após a morte) e pediu uma nova perícia, realizada na tarde de quinta-feira (20) antes mesmo da conclusão da perícia da Bahia. Os Bolsonaros, antes favoráveis a tortura agora reclamaram que Adriano da Nóbrega foi torturado e com isso tentam tirar a batata quente de seu colo e joga-lo no colo do PT. 

Mas é tudo coincidência, porque se você disser que não é, pode ser indiciado pela lei de segurança nacional. O ex-presidente Lula por ter chamado Bolsonaro de miliciano em um discurso em novembro do ano passado foi processado pela lei de segurança nacional, por meio do ministro da justiça e ex-juiz Sérgio Moro, como foi vazado na quarta-feira (19) quando Lula foi depor na Polícia Federal sobre o caso. 

Criticar e dizer coisas sobre os outros numa democracia é normal, o próprio Lula quando era presidente foi chamado das piores coisas, numa época antes da Lava-Jato e ele não processou pela lei de segurança nacional. É um precedente perigoso que mostra que Bolsonaro está tremendo diante da acusação de miliciano, será que tem? não é nenhuma insinuação, deve ser só coincidência, o mundo está cheio delas.

Falando em mundo, nos EUA as eleições estão eletrizantes. Na quarta-feira (20) ocorreu mais um debate das primárias democratas, desta vez, o bilionário Michael Bloomberg participou do debate já como pré-candidato e levou uma sova da geral. Sua candidatura foi colocada para evitar que a esquerda norte-americana, representada por Bernie Sanders tenha um candidato nas eleições e polarize com Donald Trump. 

Mas o Bloomberg tem a simpatia de uma porta e a desenvoltura de nerd tímido e hoje sua candidatura está posta a pique. O mais republicano dos democratas ou o mais democrata dos republicanos não agradou e o plano C da direita democrata Pete Buttigieg é agora a esperança da direita antipovo de evitar um confronto inédito direita x esquerda nas eleições dos EUA.

Mais quente do que os EUA só o oriente médio, onde Turquia e Síria se estranharam nesta semana, com ataques entre tropas do Exército Árabe Sírio sob comando de Bashar Al-Assad e tropas de ocupação turca e Idlib, última província Síria com pontos de domínio de grupos terroristas. O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan ameaçou adentrar ainda mais com seu exército na província síria e a Rússia tenta mediar uma solução para este estranhamento entre os dois países.

Esta foi uma semana eletrizante com cenas bizarras, agora vem o carnaval que não será tão tranquilo como nos outros anos, pois a folia do bloco do motim está a todo o vapor no nordeste e em mais de 10 estados. Será que Bolsonaro ainda continuará bonzinho com este tipo de bandido? Será que a bondade dele com Alexandre da Nóbrega foi por que seu psicólogo acertou a medicação dele? só acompanhando nossa humilde página para saber.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.