Ontem (12) foi apresentado para as partes do inquérito aberto pela Procuradoria-Geral da República (PGR), o vídeo da reunião interministerial, onde Moro indicou em seu depoimento, que Bolsonaro teria feito a cobrança para a troca do Diretor-Geral da Polícia Federal no Rio de Janeiro. O vídeo, segundo o que vazou, mostrou Bolsonaro falando claramente que queria a troca do Superintendente da PF no Rio de Janeiro para proteger os filhos dos inquéritos que estão em andamento nesta superintendência.

Como já adiantamos em nossa humilde página, a disputa que resultou na demissão de Moro era muito mais que uma mera disputa de egos ou uma disputa pré-eleitoral antecipada, mas sim uma disputa pelo aparato de segurança pública, que caso o vazamento que aconteceu se confirme, o vídeo desta reunião nada republicana confirma. Não se trata apenas de proteger os filhos de investigações policiais, apesar de vocalização desse temor indicar que aí tem coisa, mas também de construir um aparato ditatorial que sirva exclusivamente aos interesses da demolidora Bolsonaro e de suas negociatas e Sérgio Moro era o seu maior obstáculo.

A investigação em questão que Bolsonaro teme é o inquérito que está sendo movido para investigar um esquema de rachadinha na ALERJ (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), na qual os funcionários do gabinete de Flávio Bolsonaro, na época deputado estadual e hoje senador, na qual ele pegava dos funcionários do gabinete até 90% do salário. O dinheiro era destinado a conta dele, onde recentemente o site The Intercept Brasil mostrou que era tal dinheiro era destinado a financiar “empreendimentos” imobiliários ilegais da milícia “Escritório do Crime” no Rio de Janeiro.

Mas também não podemos nos enganar sobre as intenções de Moro, que como mostrado anteriormente por nossa humilde página, é um elemento que não apenas ser um mero ministro do STF ou um presidente democrático, o principal motivo para aceitar o cargo de ministro da justiça era justamente se apossar do aparato de segurança pública e assim montar o seu esquema próprio para se tornar um ditador.

Agora, com o vazamento das primeiras informações sobre o vídeo fica claro que esta era, de fato, uma disputa pelo aparato de segurança pública. Outras coisas que parecem que vão aparecer é o explícito temor de que descubram alguma ação pouco republicana de seus filhos, principalmente de seu filho 01, Flavio Bolsonaro. A publicação desta reunião oficial na íntegra agora é uma questão fundamental para a transparência, é necessário esclarecer de uma vez por todas se estas informações são verdadeiras, e caso sejam, todos os envolvidos devem ser investigados e punidos de forma exemplar. Não podemos aceitar mais este descalabro.

Leia Também:

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.