Não é apenas nos Estados Unidos que a violência policial  detonam manifestações com o forte caráter anti governista. Desde os acordos de paz com as FARC (antigamente Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, atualmente Força Alternativa Revolucionária do Comum) em 2016, mais de 700 lideranças sociais foram assassinadas na Colômbia em uma das maiores matanças de lideranças sociais de todo o continente. Ao mesmo tempo, outros problemas sociais tão graves quanto a guerra civil saíram à tona neste período, os grupos paramilitares de caráter fascista que se instalaram em diversas regiões e agem como bandos criminosos, a desigualdade social no país e a violência policial em relação ao cidadão comum.

Na terça-feira (8), Javier Humberto Ordóñez Bermúdez de 43 anos, engenheiro aeronáutico de formação, mas que se sustentava por meio de dois táxis dos quais era dono e que estava prestes a iniciar sua nova carreira na advocacia foi morto pela polícia durante uma abordagem. Ordóñes sofreu 5 descargas de taser enquanto estava imobilizado no chão por dois policiais (vídeo abaixo), falecendo no hospital por conta dos choques elétricos. As cenas da brutal Abordagem Policial circularam por todo o país gerando uma grande indignação entre todos que virão, resultando em grandes protestos contra violência policial, que foram brutalmente reprimidas com um saldo de 7 mortos e centenas de feridos.

Antes da pandemia, no começo de 2020, estudantes saíram às ruas por toda a Colômbia, contra as medidas neoliberais adotadas por Ivan Duque. Essas manifestações foram duramente reprimidas, mas mesmo assim ganharam corpo a ponto de uma greve geral ter sido convocada nesta mesma época, tendo uma grande adesão da população. 

A Pandemia na Colômbia não foi menos implacável do que em outros países como o Equador ou o Brasil. Segundo cifras oficiais foram registrados 686.851 casos e 22.053 mortos com um grande pico de casos entre julho e agosto. Agora com a diminuição no número de casos as questões políticas que antes estavam em segundo plano voltaram novamente à tona, e justamente com um caso de violência policial, assim como ocorreu nos Estados Unidos.

Na atualidade não há mais como fazer violações dos Direitos Humanos sem que isso Gere consequências, já que praticamente todo mundo hoje tem um celular com câmera, que pode ser usado para filmar estas violações. A política da violência policial generalizada irrestrita contra população ficará cada vez mais difícil sua aplicação sem uma grande explosão popular. Nos Estados Unidos só não gera uma reação política mais forte por conta da desorganização que a esquerda estadunidense passa, mas não pode se dizer o mesmo em países cuja a população está minimamente organizada politicamente. Este é um dos motivos pelo qual tentam cada vez mais silenciar o debate político nas redes sociais.

Leia Também:

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.