Após várias idas e vindas o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, foi demitido pelo demolidor em chefe, Jair Bolsonaro, após divergências em relação ao distanciamento social para combater o avanço da pandemia no Brasil. O novo demolidor da saúde escolhido pelo demolidor em chefe será Nelson Teich, foi apresentado por Bolsonaro em coletiva de imprensa hoje (16) no Palácio do Planalto.

Na infame coletiva, o demolidor em chefe, aparentando estar baqueado, possivelmente pensando nas consequências políticas do ato, falou que o grande problema entre ele e o agora ex-ministro da saúde era que “ele não pensava nos empregos”. Como já noticiado em nossa humilde página, o demolidor em chefe, junto com necroempresarios que querem o lucro a qualquer custo, sabota as medidas de distanciamento social para que as pessoas voltem às ruas, não importando se isso resulte em milhões de mortos.

Esse dilema apresentado pelo demolidor em chefe é falso, já que como adiantamos em nossa primeira análise da pandemia, ainda em fevereiro, a economia já estava entrando em crise, mesmo que não houvesse nenhum caso da doença no Brasil, mas ainda sim haveria uma grande recessão, já que o nosso principal parceiro comercial, a China, estava paralisada por conta da doença. 

Hoje, já há indícios que mesmo com o fim da quarentena, já que houve o combate efetivo a doença, as pessoas ainda não saem às ruas para comprar, ainda não se arriscam a fazer compras maiores e há fortes indícios de uma grande quebradeira generalizada, principalmente entre as pequenas e médias empresas com uma grande capacidade para se alastrar rapidamente por toda a economia do gigante asiático.

Ainda, como adiantamos nesta semana, a economia global caminha para uma nova depressão econômica, já que a “uberização” da economia, juntamente com a inércia de órgãos como a União Europeia e o repique da explosão das dívidas públicas, estão potencializando os efeitos nocivos da peste em toda a economia mundial. Como mostrou o relatório do FMI, os países que sofrerão as maiores retrações econômicas, são os que tem o maior número de casos, como a Itália que terá uma recessão de 9,1%.

Por tanto, apesar do Mandetta não ser flor que se cheire (já que político que apoiou a demolidora bom moço não é), mas ele está sendo demitido para dar lugar a uma sabotagem aberta das medidas de distanciamento social contra a pandemia. Tudo isso só para manter o lucro dos necroempresarios carniceiros que não se importam com a vida humana e preferem a morte de milhões do que perder um tostão de lucro em seus balancetes.

Recomendações do Ministério da Saúde (leia mais sobre a doença em https://coronavirus.saude.gov.br/ )
Recomendações do Ministério da Saúde (leia mais sobre a doença em https://coronavirus.saude.gov.br/ )

Leia Também:

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.