Actualidad RT, 20 de janeiro: Um informe anual da organização internacional Oxfam, publicado na véspera do Foro Econômico Mundial de Davos 2020, que se inicia nesta semana, assinala que os 22 homens mais ricos do planeta superam a riqueza completa de todas as mulheres na África.

Os autores do estudo consideram que “a desigualdade econômica está fora de controle” e qualifica o sistema econômico como “imperfeito e sexista”. Também afirmam que 2.153 milionários tem mais riqueza que 4,6 bilhões de indivíduos (60% da população mundial).

Benefício para a economia global

Os investigadores descobriram que as mulheres e as meninas contribuem com 12,5 bilhões de horas de trabalho de cuidados não remunerados diariamente e sugerem que este tipo de atividade constitui  benefício para a economia internacional de, ao menos 10,8 trilhões de dólares ao ano, quer dizer, três vezes mais que o rendimento da indústria tecnológica global.

“As mulheres e as meninas, que passam bilhões de horas cozinhando, limpando e cuidando de meninos e idosos, são a coluna vertebral de nossa economia global, mas são as que menos se beneficiam dela”, explicou Paul O’Brien, vice-presidente de Política e Defesa da organização.

Segundo as cifras publicadas por Oxfam, o 1% mais rico da população mundial tem mais do dobro da riqueza que 6,9 bilhões de pessoas.

Também o organismo explica que se houvéssemos guardado 10.000 dólares por dia desde a construção das pirâmides do Egito (há mais de 4.500 anos), teríamos um quinto da fortuna média dos 5 bilionários mais ricos.

“OS mais ricos claramente estão manipulando nossa economia por si mesmos, começando pelo presidente bilionário dos EUA”, acrescentou O’Brien. “Enquanto o presidente dos EUA se reúne em Davos com a elite mundial, sua administração busca reduzir a assistência alimentar de quase um milhão de pessoas pobres, ao mesmo tempo que amplia as lacunas fiscais e outros benefícios para as grandes e ricas empresas.

Leia também:

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.