Actualidad RT, 27 de janeiro: Às eleições extraordinárias para o congresso do Peru deixam um parlamento fragmentado, segundo os resultados preliminares. No total , até 10 partidos estariam representados na câmara. Mais de 24 milhões de pessoas foram convocadas a votar para eleger os 130 congressistas.

Faltando a confirmação final, Acción Popular obteve 10,1%, seguido da Frente Popular Agrícola (Frepap), com 8,9% e Podemos Perú, com 7%. A subida destes partidos se contrapõe aos fujimorismo de Fuerza Popular. Esta formação, liderada por Keiko Fujimori, era até setembro o maior grupo opositor, mas os resultados atuais o moveram até o sexto lugar.

A composição do novo congresso estará vigente somente um ano e meio até completar o mandato do que foi cassado. No final do mês de setembro, o presidente Martín Vizcarra dissolveu a Câmara e convocou eleições em meio a graves tensões no parlamento.

Mudança drástica

Para Javier Torres, jornalista e analista político, os resultados trazem uma mudança drástica na correlação de forças em um momento, que segundo ele, devem realizar numerosas reformas em pouco tempo.

“Podemos ver um Congresso fragmentado. Vamos ter cerca de 10 bancadas (…) não vai haver uma maioria e vai ser um Congresso com vida muito curta e que já tem uma agenda herdada do anterior”, explica torres em entrevista à RT

Esta agenda, segundo o analista, estará centrada na reforma política, do sistema de partidos e regras eleitorais, do sistema de justiça e também na eleição dos magistrados do Tribunal Constitucional.

“Além de um conjunto de acusações pendentes a uma série de autoridades acusadas por casos de corrupção, que foram blindadas no Congresso anterior. Vamos ter uma dispersão de agendas de alguns partidos e alguns acordos básicos, mínimo em termos das reformas”, concluiu.

Leia também:

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.