Actualidad RT, 15 de janeiro: Nesta quarta-feira, representantes da China e EUA, assinaram a “fase um” do acordo comercial entre os dois países.

Em uma conferência na Casa Branca, Donald Trump descreveu as negociações como “complexas” e  “realmente duras”, ao mesmo tempo que expressou seu desejo de visitar a China num futuro “não muito distante”.

“Durante décadas, os trabalhadores, agricultores, pecuaristas, fabricantes e inovadores estadunidenses foram afetados pelo comércio injusto com a China. […] Desde que a China se uniu a Organização Mundial do Comércio há duas décadas, temos acumulados quase cinco trilhões de dólares – espero que o vice primeiro-ministro não esteja escutando isso – em déficit comercial”, afirmou Trump. Ainda assim, declarou que os EUA suspenderão as barreiras alfandegárias contra as importações chinesas se as partes acertarem a segunda fase do acordo.

Segundo o anunciado pelo inquilino da Casa Branca, Pequim se comprometeu a gastar em dois anos  75 bilhões de dólares em mercadorias industriais, 50 bilhões em produtos agrícolas, 50 bilhões de dólares em energia e 40-50 bilhões de dólares em serviços, incluindo os serviços bancários e financeiros.

O representante de comércio dos EUA, Robert Lighthizer, declarou que o tratado entrará em vigor dentro de um mês.

Por sua parte, o vice-presidente Mike Pence afirmou que ainda que “as diferenças permanecem” entre as duas nações, o passo marca “o início de um novo capítulo”.

“Bom para todo o mundo”

Por sua vez, Liu He leu uma carta do presidente chinês, Xi Jinping, na que ele felicita Trump pela assinatura do tratado.

“A conclusão da fase um do acordo comercial entre China e EUA, é boa para a China, para EUA  e para todo o mundo. Também mostra que nossos dois países têm a capacidade de atuar sobre a base da igualdade e o respeito mútuo”, se pronunciou o vice primeiro-ministro.

“Um grande Acordo”

O documento assinado hoje foi acertado há mais de um mês. Em 13 de dezembro, Donald Trump anunciou que Washington havia logrado “um grande Acordo de Fase Um com a China”. No mesmo dia, o Escritório do Representante Comercial dos EUA, Publicou um comunicado e um resumo do tratado, que entretanto, não tinha dados específicos sobre seu conteúdo.

O fechamento da assinatura foi anunciado por Trump na virada do ano. Nessa semana, vários indícios sugeriram que o acordo se materializaria efetivamente neste 15 de janeiro. Um deles foi a chegada em Washington nesta segunda-feira de uma delegação chinesa encabeçada pelo vice primeiro-ministro Liu He. Outro sinal, foi que nessa mesma semana o Departamento do Tesouro estadunidense retirou o país asiático de sua lista de manipuladores de divisas, na que tinha incluído em agosto. 

Anteriormente nessa semana, o secretário de Tesouro estadunidense, Steven Mnuchin, afirmou ainda que “o primeiro passo se centra realmente na execução”, a segunda fase do acordo preverá a redução das taxas.

“Igual que este acordo teve certas revogações, na fase 2 haverá revogações adicionais”, declarou Mnuchin em uma entrevista à CNBC.

Ver também:

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.