Actualidad RT, 26 de março de 2020: O parlamento da autoproclamada República do Kosovo demitiu o governo do primeiro-ministro Albin Kurti na quarta-feira, depois que uma moção de censura prosperou, desencadeando outra crise política, quando esta região sérvia tenta impedir a propagação do coronavírus.

O partido conservador da Liga Democrática do Kosovo (LDK), no meio do debate sobre a declaração ou não de um estado de emergência pelo COVID-19, apresentou uma moção de censura ao Gabinete, apoiada por 82 dos 120 deputados do Parlamento. Dessa maneira, o governo de Kurti foi removido sem ter completado dois meses no poder.

Durante a sessão parlamentar antes da votação, que durou quase 12 horas, o primeiro-ministro garantiu que o governo está administrando bem a situação com a disseminação do coronavírus e que não é necessário declarar estado de emergência. Além disso, ele demitiu o ministro do Interior, Agim Veliu, membro do LDK, que defendia a proclamação de um estado de emergência.

Atualmente, não está claro como essa crise política será resolvida, pois o Kosovo não pode realizar eleições antecipadas precisamente por causa da disseminação do coronavírus.

Até o momento, 71 casos positivos foram registrados no Kosovo e uma pessoa infectada morreu de covid-19. Esta região da Sérvia se declarou unilateralmente independente em 2008 e não é reconhecida como um estado por vários países, incluindo Rússia, Espanha e Brasil.

Recomendações do Ministério da Saúde (leia mais sobre a doença em https://coronavirus.saude.gov.br/ )

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.