Por mais dura que tenha sido a realidade desta pandemia a qual o mundo está sendo acometido neste exato momento, não podemos cair na tentação das “curas milagrosas” que resolvem todos os nossos problemas. Esta doença será vencida e temos a ferramenta necessária para alcançarmos a vitória, a ciência.

Mas, a pesquisa da cura da pestilência vem sendo objeto de polarização política com a paranoia do demolidor em chefe, Jair Bolsonaro, e de sua camarilha criando teorias da conspiração, ao dizer que “a cura da doença foi descoberta, anunciada pelo presidente dos EUA, Donald Trump, mas que “forças ocultas” a escondem para manter o mundo no caos e assim obterem o controle dele”.

Alimentando a paranoia da caneta sem poder, atropelam a ciência para que o demolidor em chefe retorne ao jogo, alimentando esperanças que podem ser falsas, ou não. Só é possível saber se tal favoritismo é justificável com mais pesquisas, que devem ser feitas utilizando o método científico, que pode não ser a mais rápida das soluções, mas é a mais precisa e certeira das ferramentas.

A ciência (seja ela qual for), não é feita só de equipamentos e laboratórios, a ciência só é ciência porque tem um método de investigação do mundo. Este método só é eficaz porque leva em conta diversos fatores como o acaso, a falibilidade do ser humano, entre outros, exigindo que a explicação de determinado fenômeno possibilite sua reprodução em qualquer lugar. (leia mais sobre o método científico neste artigo do blog biblioteca central da UFRGS)

Porém, para que uma hipótese seja testada e seus resultados passem pelos devidos crivos para, aí sim, ser descartada ou validada, é necessário tempo para que testes sejam feitos em larga escala em todo o mundo, por equipes de diferentes regiões e realidades e com a ciência médica não é diferente.

Sim, a situação é crítica e necessita de urgência na aplicação das soluções para conter e sanar a doença, porém não podemos cair na armadilha das soluções “milagrosas”, que salvarão tudo, que serão aplicáveis para todo mundo. Para a ciência ter as soluções em mãos, não tem jeito, é necessário dar tempo para que as hipóteses de cura, tratamento e vacina sejam testadas e enfim possam ser consideradas seguras e eficazes para serem utilizadas.

A única forma de fornecer este tempo para testar estas soluções com método, calma e eficácia é a quarentena, o isolamento social, que desacelera a velocidade da contaminação, e consequentemente, permite que o sistema de saúde não entre em colapso. Porém, essa campanha entorno dessas medicações, está sendo feita como uma das frentes para sabotar a quarentena, diminuindo a real gravidade da situação, e assim expondo milhões de pessoas ao perigo da morte pela pestilência.

Não se sabe ao certo se determinadas substancias curam a doença de fato, porém só é possível ter certeza se elas forem testadas à exaustão em diversos lugares, por equipes diferentes. A ciência necessita de tempo para descobrir os pontos fracos da pestilência pandêmica, porém o governo irresponsável e sua camarilha, para satisfazer o lucro de empresários parasitas, insatisfeitos com o isolamento social, usam determinadas substâncias para dizer que tal doença já tem cura.

Só há uma ferramenta que temos em mãos que pode vencer a praga, esta ferramenta se chama ciência, necessita de tempo e reconhece que o ser humano erra. Esta ferramenta não pode ser apressada, sob o risco de não trazer resultados, por isso, parem de polarizar sobre um assunto que não é da alçada da política, deixem a ciência trabalhar!

Recomendações do Ministério da Saúde (leia mais sobre a doença em https://coronavirus.saude.gov.br/ )
Recomendações do Ministério da Saúde (leia mais sobre a doença em https://coronavirus.saude.gov.br/ )

Leia Também:

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.