O Brasil está numa espiral de “coincidências” negativas, o país com o presidente que mais segue Donald Trump em suas políticas, inclusive a sanitária, com o número de mortos por dia pela pandemia já encostando no país com mais mortes no mundo, que por coincidência é os EUA, o povo está cada vez mais saindo de casa e, por coincidência, temos um presidente que sabota as medidas de distanciamento social falando até mesmo em armar a população para que ela reaja a essas medidas feitas para melhorar a saúde pública de forma armada, mas se isso gerar uma guerra civil, é pura coincidência.

Mas hoje outras coincidências ficaram muito coincidentes. Após a saída do ministro da justiça que alegou não concordar com interferências na Polícia Federal, com a qual, por coincidência, fez um grande conluio juntinho com o Ministério Público Federal para quase criminalizar o PT e derrubar a presidenta Dilma Rousseff, e teve na semana seguinte a troca do diretor da PF no Rio de Janeiro, por puríssima coincidência de novo. Hoje, coincidentemente no dia seguinte a uma declaração da deputada e assessora informal de Bolsonaro, Carla Zambelli, dizer que teria uma grande investigação contra governadores, a PF bateu na porta do governador (e sim não é flor que se cheire) Wilson Witzel, com um mandato do STJ, mas que seu continuar a falar posso levar processinho, afinal, no Brasil, é proibido duvidar da divindade de magistrados (mas o artigo continua, não se preocupe).

A operação da PF foi feita supostamente para investigar um esquema de superfaturamento na compra de respiradores e equipamentos médicos comprados para o combate à pandemia, que havia levado a queda do secretário estadual da saúde do Rio. Mas, por coincidência, é expedido ordem de busca e apreensão contra o próprio governador Wilson Witzel, que de manhã bem cedo, como é de praxe nestas operações, viu a PF na porta da residência oficial, o Palácio das Laranjeiras, na capital carioca.

Não que sejam todos inocentes, muito pelo contrário, o Rio de Janeiro tem um longo histórico de governadores e secretários das mais variadas áreas presos por esquemas de corrupção igualmente diversos, tanto que o Rio chegou a ter 5 dos 7 ex-governadores presos, os dois únicos que não foram detidos foi um professor universitário que havia sido vice do já falecido governador Leonel Brizola e Benedita da Silva, vice de Garotinho, a primeira mulher negra governadora do Brasil, por coincidência positiva desta vez, duas pessoas que assumiram por pouco tempo e pareciam meio deslocados disso tudo.

Mas as coincidências nesta operação são muito grandes, uma deputada que solta numa entrevista que governadores estão sendo investigados e que teria operações em breve contra eles, após coincidentemente uma grande interferência na PF que ocorreu, por coincidência, após uma queda de ministro que acusou o presidente de interferência política na instituição, que por coincidentemente, já havia sido interferida pelo ex-ministro. Mas é a República das coincidência, que numa espiral de coincidências negativas tem muito mais coincidências não ditas. Para esclarecer estas coincidências, não podemos deixar este presidente no cargo, senão, aqueles que apontam estas coincidências podem ter a polícia, coincidentemente, na porta da tua casa até ocorrer a coincidência do seu desaparecimento.

Leia Também:

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.