Actualidad RT, 20 de julho de 2020:

A China poderá retaliar as empresas Nokia e Ericsson AB se os países da União Europeia proibirem o 5G da companhia Huawei, como o Reino Unido e os EUA, informa The Wall Street Journal, citando duas pessoas familiarizadas com o assunto.

O Ministério do Comércio chinês está avaliando a imposição de controles de exportação que impediriam a Nokia e a Ericsson de enviar os produtos que fabricam na China para outros países.

Uma das pessoas que conversou com o jornal esclareceu que essas medidas serão aplicadas apenas no caso de se cumprir o pior cenário, se os países europeus efetivamente proibirem o uso de equipamentos de fornecedores chineses para redes 5G.

Em 14 de julho, o ministro da Cultura do Reino Unido, Oliver Dowden, anunciou que o governo britânico proíbe a compra de novos equipamentos para redes 5G produzidas pela Huawei a partir de 31 de dezembro, enquanto os equipamentos e componentes da empresa chinesa já instalado em redes 5G no território britânico será retirado até 2027.

O presidente dos EUA Donald Trump pressionou repetidamente o Reino Unido a vetar a participação da Huawei na construção de redes 5G em seu território, mas em janeiro, Londres autorizou a Huawei a participar da construção de no máximo 35% das redes 5G no território britânico.

No entanto, no início de julho, foi relatado que a empresa chinesa enfrentará uma proibição gradual de implementar esse tipo de tecnologia no território britânico.

Reação da Huawei

Um porta-voz da gigante chinesa de telecomunicações Huawei classificou a decisão do governo britânico de remover todos os seus componentes das redes 5G até 2027 como “decepcionante” e “politizada”.

“Esta decisão decepcionante é uma má notícia para qualquer pessoa no Reino Unido com um telefone móvel. Ela ameaça levar o Reino Unido para a linha lenta digital, aumentar as contas e ampliar o fosso digital”, declarou.

Leia Também:

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.